Para o amor que vai chegar

Resultado de imagem para cartas

Para o amor que vai chegar

Sempre quis escrever para ele, de repente, achei que seria hora, sempre imaginei que meu amor viria de surpresa, me conquistaria aos poucos e de repente, já seria parte de mim.

Imaginei que ele saberia minha cor favorita e me surpreenderia com uma bandeja de café da manhã depois de uma noite pouco dormida.

Criei planos, fantasiei viagens, confesso, escolhi destinos. Coitado, estava ficando difícil ser ele, com todos esses adendos e pequenos detalhes.

Acordei, fiz meu café, de repente perdi o gosto pela mesa posta e aquele shake, feito rápido e mal posto ao copo já me satisfaz.

Viajei sozinha, tracei planos ,realizei sonhos, vivi.

As coisas mudaram, eu mudei.

Precisei de quase 30 anos para descobrir que meu grande amor esteve sempre ali e que o que chegar, daqui por diante, não vem para completar,vem para transbordar esse amor todo que já existe em mim.

Life is a gift

 

mar.jpg

O tempo não passou

A senhora me disse que as coisas estavam esperando por mim como deixei e no fundo, depois de todas essas idas e vindas eu sabia disso. Os seus olhos, esses já não eram mais os mesmos, olhavam para mim segurando, firmes, tentando não mostrar todo o cansaço que esses meses “todos iguais” tinham feito com a senhora.

Fiquei assustada quando fui as ruas e deixei de ouvir “por favor”, “muito obrigada”, “você se importaria de…”. Ninguém pedia licença, não paravam na faixa e nem ao menos levavam o carrinho de volta no mercado. Que besta, vai pensar você, mas eu encho o peito com tanto orgulho para falar daqui que eu queria que todo meu orgulho refletisse nas pequenas coisas, o mundo, por fim, é feito das pequenas coisas.

Por outro lado, o café quentinho na mesa vinha com gostinho de amor, sabe? Daqueles que a gente toma devagar, para saborear toda saudade. Morri de rir com histórias de infância e descobri coisas de amigas de anos que eu nem sabia, quanto mais eu viajo, definitivamente, mais eu aprendo a ouvir, não sei te dizer se é porque a gente aprende por fim a respeitar o espaço do outro ou se de repente, você fica tão curioso para saber, entender, que tudo parece fascinante.

Eu morri e nasci de novo mil vezes, até poder te dizer que estou aqui, a vida é um presente, acredite.

Queria poder te dar respostas, minto, queria poder me dar respostas, mas será que no fundo a gente precisa mesmo delas?

Só posso te dizer que aprendi a voar, e quanto mais longe o voo, maior a certeza de que as minhas raízes estão aqui, cada dia mais fortes, assim como eu. Como diria uma grande amiga minha: “Depois de tudo isso, pouca coisa te derruba na vida”.