Acordei no Paraíso, minha vida era de frente pro mar

oneway.jpeg

 

Me joguei no mundão, me entreguei mesmo, vivi e me deixei viver tudo que essa nova experiência poderia me trazer, as dores e as delícias de ser como foi.

Voltei a estudar, mas de forma ou de outra até isso me remete a algo bom.

Intervalo entre aula  e outra, trabalho e outro, o descanso tinha vista para o mar.

Afinal, porque então a gente decide simplesmente acordar desse sonho?

Vou te falar que a experiência com data marcada, seja da passagem ou do visto que esta ali quase para vencer, faz te fazer reviver e ponderar tudo, TIM TIM por TIM TIM, é o tipo de decisão que a gente não pode simplesmente deixar para lá. Cheguei no topo e ai? Me jogo?

Era uma tarde de formatura, elas aconteciam regularmente ao meio dia e meia da sexta-feira, quando se formou mais uma turma do Cambridge [ele certifica que você tem capacidade para falar e trabalhar com a língua, no caso o inglês], o clima era diferente, as pessoas sorriam, contraídas ainda, na hora do discurso, a surpresa: um dos meninos não estava mais lá, havia gravado um vídeo, agradecendo a todos de coração pela ajuda, pelos abraços, pela solidariedade. Ele era suíço e sua viagem era programada para apenas 3 meses e com 2 meses de viagem, recebeu a notícia do falecimento do seu pai, ele ainda tinha seus 17 anos e nos meus cálculos amadureceu uns 10 nessa viagem, falou centrado, falou de coração, apertou o nosso, olhando ali de fora sem saber o que fazer, sem poder fazer nada.

Ontem revivi isso nas palavras do Andre “determinado dia estava no apartamento e um dos meus amigos chegou correndo do trabalho, entrou no seu quarto e com lágrimas e soluços nos contou que o pai dele havia falecido em um acidente de carro no Brasil, uma das cenas mais tristes e comoventes que já vi, ele estava a 14.000 km de distância de casa e tentava conseguir uma passagem pra chegar a tempo no enterro do pai, refleti muito sobre isso.”

Afinal, de que sonho mesmo estávamos falando mesmo?

Vou te falar que não sei viver mais sem saudade, tenho um pedaço de mim espalhado por ai, você mesmo, lendo isso agora, deve ser parte de mim e  provavelmente mal sabe.

Mas de todas as saudades, a certeza de que vivi tudo que deveria perto dos que amo é a que fala mais alto.

Minha certeza não veio no aeroporto, meu coração estava em pedaços por lá, veio no abraço da minha mãe, já aqui.

Acalma o coração, você esta em casa, a gente da um jeito.

Vou te falar aqui, que a verdade é a mesma, o sonho nunca termina, ele apenas é vivido de outra maneira.

A vida afinal é feita de contantes escolhas, não é mesmo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s