E se for para falar de abraços e laços…

amor111

Eu andava na rua enquanto ele me olhava diferente, fixei o olhar, virei rápido, devia ser bobeira minha.

Sentou mais ao canto, andei devagar, ele puxou uma ou duas palavras, eu ri.

Depois disso foi quase que como abrir a porta, a gente tem dessas, se derrete sorrindo.

Ele sabia como colocar as palavras, o abraço encaixava no meu, o beijo,  o beijo então nem se fala.

Me apresentou seu mundo… engraçado, era tão parecido com o meu e tão diferente.

As diferenças eram quase complementares, como quem escolhe o lado contrário da cama e ufa, encaixou.

Passaram dias e nem ouvi sua voz, quando ouvi, sorri, sorte a minha que a gente não é visto em ligação. Alias, que sorte a minha.

Me fiz de durona 5 minutos, mas ele já estava quase aqui, quem resiste? Abriu a porta do carro, olhou fundo nos olhos, escondeu as flores atrás dos braços.

Tinha algo de errado mesmo? Nem sei, nem lembrei.

Não sei guardar amor em mim, ainda mais guardar daquele abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s